SOBRE MIM E O PROJETO TODOS PELA SAÚDE

Mariangela Cabelo

Olá, meu nome é Mariangela Cabelo, tenho 23 anos. Sou natural de Bauru, o coração do estado de São Paulo. Atualmente, moro em Campo Grande, estou lá por causa da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), onde finalizo meu curso de medicina.

Durante minha graduação comecei a sentir uma espécie de “desperdício” em ter contato com os melhores especialistas do país; aprender um conteúdo que poderia ajudar muitas pessoas e, no fim, guardar aquilo só para passar nas provas bimestrais do curso.  Demoraria anos para que pudesse ajudar efetivamente as pessoas dentro de meu consultório. O que eu faria durante seis (6) anos com aquele conhecimento que adquiria dia a dia durante minha graduação?

Assim como a cidade do interior paulista, Bauru está no coração de São Paulo, a chamada “Cidade Morena” – capital de Campo Grande, está no coração de Mato Grosso do Sul. É ali no cerrado brasileiro que encontramos a Cidade Universitária – o campus principal da UFMS. Dentro desse campus está a faculdade de medicina FAMED-UFMS.

O nosso Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (Humap-UFMS) ganha consecutivamente títulos por estar entre as melhores instituições federais do Brasil! Temos médicos que são, reconhecidamente, os melhores do Brasil. O hospital escola é o habitat natural do médico que nunca parou de estudar, do médico que quer fazer pesquisa, do médico que quer ensinar e participar da formação dos futuros colegas de profissão, daquele que não está no lugar por dinheiro. No HUMAP temos uma demonstração de competência em inúmeras especialidades.

Não sentia justo discutir cotidianamente casos clínicos, ver a conduta tomada pelos experts do país, ver o que não podia ser feito em hipótese alguma em algumas doenças e guardar toda essa informação só para mim. Na minha graduação tenho a sensação do que é sentir cada célula do meu corpo tremer ao ver o poder do estudo na condução de um caso. Poder tirar com a “mão” ou com o estudo dores e doenças. Poder ajudar quem precisa, quem sofre.

Sentia que precisa devolver agora, no presente, não no futuro, o tanto que a universidade pública investe em mim. As universidades públicas são pérolas espalhadas no território brasileiro. Toda nação custeia tais pérolas. Tem coisa que não acho justo e vou precisar contar, assim você saberá o que estou fazendo aqui nesse site e no canal do Youtube.

Não é correto que charlatães na internet, usando do jaleco branco, possam enganar as pessoas. Eles causam prejuízos incalculáveis à saúde das pessoas. Podem até mesmo matar quem segue suas invenções e seus “ensinamentos”. Meus professores olham para tipos como Lair Ribeiro e riem de suas mirabolâncias, sabem onde estão os erros de fisiologia, anatomia, patologia, metodologia científica que esses tipos cometem. Porém, quantas vozes da medicina estão no Youtube para ajudar a divulgar a medicina baseada em evidência?

Sinto uma irresponsabilidade vinda por parte das autoridades sanitárias e até mesmo dos Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) e do Conselho Federal de Medicina (CFM) em punir os que usam do carimbo médico para mentir e prejudicar a saúde de um povo que precisa de educação em saúde.

Um exemplo recente do que estou dizendo: médicos do tipo Nise Yamaguchi, ou até pior, como os “anjos da morte” do Ministério da Saúde.  Na pior crise de saúde de Manaus, pessoas morriam asfixias, agonizando, suplicando um pouco de ar. Nesse momento, o Ministério Fake da Saúde enviou um grupo de médicos, os anjos da morte, para “ensinar” a população sobre o tratamento precoce. Algo comprovadamente ineficaz e maléfico como mostrado aquiaquiaquiaquiaquiaqui

Infelizmente o charlatanismo e bandidagem na medicina vai continuar por algum tempo. O CFM autoriza drogas maléficas por ideologia partidária, o presidente do país – Jair Messias Bolsonaro receita remédios para pagar dívida de campanha.

Nesse cenário, o canal Todos pela Saúde é um campo de luta diária. E afinal, como surgiu esse canal

omo você viu, eu tinha muitas razões para regaçar as mangas e fazer alguma coisa: aqui e agora!

Nos últimos meses de 2018, abateu-me uma profunda sensação de angustia e desesperança, acho que fiquei doente na alma. Muitos sabem do que estou dizendo, inclusive ficaram doentes no mesmo período. Eu sabia que os próximos anos seriam péssimos. Sentia-me impotente! Naquele cenário de pessimismo total fui apresentada a um canal.

Foi meu ex-namorado, um filósofo, que me indiciou o canal do Filósofo Paulo Ghiraldelli. Eu comecei a assistir diariamente aquele senhor de barba branca e passava todos seus vídeos para minha família, principalmente ao meu pai, Angelo, que na época fazia campanha para o candidato que posteriormente venceria as eleições.

Na época eu ainda acredita em candidatos políticos, então fazia uma fervorosa campanha para o candidato Ciro Gomes, administrando páginas no Facebook e fazendo memes que eram compartilhados em páginas oficiais da militância pedetistas (sem que eles soubessem a autoria). Foi através dessa militância que soube dos números de deputados e lideranças do PDT. Assim, na época eu tinha o contato da deputa Tábata Amaral.

Quando das tentativas de conversa do Filósofo Paulo Ghiraldelli com a deputada, mandei mensagem para a moça, informando a necessidade de ela ouvir um eleitor que lutou tanto para sua vitória. Lógico que não fui respondida. Foi então que resolvi procurar a pessoa por trás daquele canal que fazia parte da minha rotina, achei na internet o número do antigo celular do professor Paulo Ghiraldelli. Mandei mensagem para o filósofo com o número da deputada Tábata, pois sabia que ele precisava muito falar com ela.

Imaginei que um senhor tão ocupado, com tantos seguidores e gravando tantos vídeos por dia, não me responderia, mas eu sempre faço aquilo penso.

Ele me respondeu de imediato. Em nossas primeiras conversas contei o quanto que ele ajudou minha família, contei que meu pai  tornou-se um “fã” e uma pequena história do quanto o seu canal  foi importante para mim. Ele pediu que gravasse um vídeo contanto o caso. Em janeiro de 2019 apareci no canal youtube.com/tvfilosofia, contando a influência do professor  em minha família.

Após o vídeo a primeira coisa que ele me disse foi: “Sua boca e seus olhos são lindos.”  E continuou: “Você fala bem, deveria ter um canal.” Foi aí que contei a primeira parte desse texto para ele, sobre minha formação e o desperdício que sentia ao não ensinar o que aprendo na medicina. Queria acabar com aquela sensação de impotência.

Eu dezembro de 2018 eu pensava em criar um projeto de educação em saúde no facebook. Contudo, foi o filosofo Paulo Ghiraldelli o grande anjo do projeto, falou: “Faça que eu te dou cobertura, vou te ajudar nessa!”.

Pensei muito em um nome ideal, cheguei à conclusão: TODOS PELA SAÚDE, esse será o nome da minha luta. Não conseguia pensar em um nome melhor, mais significativo que esse. Todos compreenderiam facilmente o que gostaria de fazer e estariam automaticamente fazendo parte da minha luta, ao estar no TODOS PELA SAÚDE.

Mostrei para o Paulo o logotipo e nome, queria saber se ele tinha gostado. Ele deu o aval! Comecei a gravar vídeos praticamente diários, não sabia muita coisa do Youtube, mas fui aprendendo. Comecei a sentir que estava retribuindo de alguma forma o país que paga minha formação.

O meu ideal de luta, a minha coragem de enfrentar qualquer um pelo o que luto, o meu espírito fez uma união com o espírito do Paulo. O problema foi que nós não nos dávamos conta que estávamos gerando um fruto daquela união, estávamos gerando um projeto, uma luta em conjunto na Internet. Os de fora achavam que tinha algo a mais. Porém, nunca houve qualquer troca de mensagem entre nós que não fosse sobre nossa luta.

Após o término de meu relacionamento e do relacionamento do Paulo, nossa frequência de conversa só aumentou. Por fim, já não havia mais motivo para não unir os corpos que o espírito já havia unido.

CV – Lattes

Está procurando meu currículo lattes?